Eletrobras amplia prazo para demissão voluntária até 26 de outubro

No mês passado, presidente da estatal afirmou que meta é reduzir quadro em cerca de 2,4 mil funcionários. PDV é mais uma etapa do plano de privatização da Eletrobras

A Eletrobras disse que 733 empregados aderiram ao Plano de Demissão Consensual (PDC) em seu primeiro período de inscrição, conforme comunicado divulgado pela estatal nesta segunda-feira (15/10).

A companhia destacou ainda que lançou novo período de inscrições para PDC, com prazo para adesão até 26 de outubro.

No mês passado, o presidente da empresa, Wilson Pinto Jr., já havia afirmado que a estatal reduzir seu quadro de funcionários em cerca de 2,4 mil pessoas como parte de seu Plano de Demissão Voluntária (PDV) a partir de outubro.

O plano de desligamentos acontece em meio ao processo de privatização de seis distribuidoras da estatal, do qual quatro já foram leiloadas. Segundo a empresa, objetivo é reduzir o endividamento da companhia e reequilibrar suas finanças, que fecharam 2017 com um prejuízo de R$ 1,72 bilhão.

Em março deste ano, a estatal havia anunciado a aprovação do PDV nas subsidiárias Eletrobras Cepel, CGTEE, Chesf, Eletronuclear, Eletronorte, Amazonas GT, Eletrosul e Furnas, além da própria Eletrobras.

Segundo Pinto Jr., as fases anteriores do PDV e de programas de aposentadoria já desligaram 3 mil empregados da companhia. O objetivo da reabertura do plano de demissões, segundo ele, é chegar a uma economia de R$ 1 bilhão.

Trabalhadores denunciam desmonte da estatal. Para Nailor Gatto, vice-presidente da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU), após o impeachment de Dilma Rousseff em 2016, o interesse do governo e da direção da empresa é entregar a estatal para o capital financeiro especulativo. Leia: Plano de demissão voluntária é mais uma etapa de privatização da Eletrobras

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *