Urbanitários e Câmara de Vereadores realizam Audiência Pública em Cruzeiro do Sul

A pedido do Sindicato Urbanitários do Acre, a Câmara de Vereadores de Cruzeiro do Sul convocou uma Audiência Pública, no dia 1º de julho, para debater sobre a tentativa de privatização da Eletrobras Distribuição Acre.
Estiveram presente à Audiência Pública servidores da distribuidora, sindicatos, deputado federal Moisés Diniz e vereadores. Eles debateram os prejuízos que a privatização pode causar aos servidores e consumidores.
“A gente pode dormir e acordar nos dizendo que privatizaram que foi leiloado e que agora a energia elétrica é particular”, disse a vereadora do PMDB, Lucila Bruneta.
Para o secretário-geral do Sindicato dos Urbanitários do Acre, Marcelo Jucá, as empresas do setor elétrico que foram privatizadas, hoje, estão oferecendo um serviço de péssima qualidade a população. Segundo ele, caso a Eletroacre seja vendida a situação será a mesma, com serviços precários e o empresário visando apenas o lucro.
“Estamos aqui para mostrar a população a possível situação caso seja privatizada Eletroacre. Cruzeiro do Sul ainda está no sistema isolado e, se a empresa for vendida, a tendência é a qualidade da energia piorar ainda mais. Temos que nos unirmos para barrar essa tentativa de privatização”, ressaltou Jucá.
O deputado federal Moisés Diniz, do PCdoB, também participou da audiência e disse que um documento será elaborado e encaminhado ao governo federal. Diniz alertou ainda que a privatização deve ocorrer até outubro.
“Portanto, nós só temos 90 dias de luta. Se o povo do Acre não se mobilizar, nós vamos perder a Eletroacre, fora Rio Branco, nenhum município tem condições de dar lucro. Ou seja, vai ser o caos na energia elétrica. O que já está ruim, vai piorar. Primeiro que nas regiões mais pobres, eles não vão instalar energia, porque não cobre o investimento deles. O ‘Luz para Todos’ não vai ter como manter, porque foram bilhões de investimento, mas a manutenção é cara e a empresa privada não vai fazer essa manutenção porque não dá lucro”, destacou.
O presidente do Sindicato dos Urbanitários do Acre, Fernando Barbosa, diz que a privatização da distribuidora de energia deve acarretar demissões em todo o estado.
“Todas essas empresas que foram vendidas, o número de trabalhadores que eram ativos hoje praticamente reduziu a mais da metade e a empresa privada ela busca tão somente o lucro, ela não está preocupada em ter trabalhadores qualificados tecnicamente, porque esse trabalhador custam mais caro e a empresa opta por um menos caro”, diz.
O diretor do Sindicato dos Urbanitários, Mauro Bezerra, ressaltou a importância do encontro, pois segundo ele, é uma forma de mostrar de forma verdadeira como será feita a privatização e como ela funciona na prática.
“Temos o apoio de várias lideranças políticas e isso ajuda na luta. O importante é que a população, que é a mais interessada, esteja ciente de tudo que irá acarretar caso a Eletroacre seja privatizada”, disse Mauro.
Outro que esteve presente a Audiência Publica foi o presidente do Conselho Estadual de Consumidores de Energia, Ivan de Carvalho. Ele destacou que o sistema, no estado, não está pronto para privatização e que a população deve está ciente dessa problemática.
“Essa privatização vai ser um prejuízo muito grande, porque o consumidor hoje não faz valer o seu direito de contestar aumentos e algumas irregularidades que são feitos e cometidos pelo setor elétrico”, finalizou.

Próximo encontro
Novamente a diretoria da Eletroacre não compareceu à audiência. A direção enviou um assessor que pouco sabia do assunto debatido. Por isso o senador Gladson Cameli enviou uma mensagem afirmando que na próxima Audiência Pública em Cruzeiro do Sul o diretor estará presente.
Para Marcelo Jucá a presença do diretor é importante para explicar a todos como será o processo de privatização e qual o benefício vai trazer para a população.
“É muito importante a presença do diretor na reunião. Ele terá a oportunidade de esclarecer quais os benefícios trará para população, caso a privatização da Eletroacre seja concluída. Estaremos aqui para fazer um debate em prol da população acreana”, afirmou.

Apoio jurídico
Além de buscar apoio com os parlamentares acreanos, o Sindicato dos Urbanitários do Acre e trabalhadores da Eletroacre contrataram uma assessoria jurídica com intuito de barrar a possível privatização da empresa.
A privatização, na visão do sindicato, trará prejuízos à população como precarização dos serviços e aumenta na conta de energia e para os trabalhadores que correm o risco de ficar sem seus empregos.

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *